De armas e bagagens para Hamburgo

Cheguei à Alemanha com uma mala de porão de 23 kg e uma bagagem de mão. A minha vida empacotada, em Janeiro de 2011, para um estágio de seis meses.

Quando me mudei para Hamburgo, a 30 de setembro último, não havia afinal mala onde coubesse o que tinha acumulado durante os últimos três anos em Bonn. Eu, que não me tenho por pessoa consumista, não queria acreditar como a carrinha estava carregada na hora de partir. Os seis meses de estágio passaram afinal a mais de três anos de trabalho em Bonn, na DW, e a uma multiplicação dentro dos armários e gavetas da casa!

Mudança

Apesar de ter deixado tudo encaixotado previamente, a manhã de dia 30 de setembro voou e carregar a carrinha alugada levou mais tempo do que esperava: bicicletas a um canto, caixa atrás de caixa, mochila, sacos… Seguiram-se mais de 400 km em direção a norte com o Gilberto ao volante – porque eu não me atreveria a tal empreitada! Quando chegámos a Hamburgo já anoitecia, começava a chuviscar e, para piorar, o elevador estava avariado! Era preciso pegar em tudo, mais uma vez, e subir até ao quarto andar. E afinal como conseguir arrumar a tralha toda num quarto de 8.5 metros quadrados?

Trazer as caixas todas de uma vez era impossível – simplesmente não cabíamos nós e as caixas ao mesmo tempo! Teve de ser aos poucos, um par de caixas numa rodada, limpar e arrumar como era possível, e voltar a carregar… parecia que nunca mais acabava e já sentia câimbras nos braços! Depois de muito sobe e desce, afinal acabou por caber tudo arrumadinho! Estávamos exaustos!

Já tarde, finalmente o descanso. Mas nem por isso me sentia menos relaxada… na manhã seguinte começava o primeiro dia de uma nova etapa – afinal o motivo que me trouxe para Hamburgo!